in

Tudo sobre as escalas de sobreaviso

Veja o que é e entenda tudo sobre como implantar as escalas de sobreaviso no seu hospital.

escalas de sobreaviso

Dentro do universo médico, e para garantir uma gestão eficiente das equipes do seu hospital, é imprescindível organizar e acompanhar as escalas de trabalho. Aqui neste blog, já falamos sobre diferentes tipos de escalas, no entanto, hoje iremos falar sobre as escalas de sobreaviso.

Na prática, as escalas funcionam como um cronograma que informa quando, onde e o que estão fazendo cada um dos integrantes da equipe médica. O processo também utilizado, inclusive, como guia de trabalho por estes. 

Afinal, como estes profissionais lidam diariamente com altas demandas de trabalho e plantões excessivos, é importante centralizar a comunicação da escala num só lugar. Desta forma, o seu hospital garante que os pacientes serão devidamente atendidos e a demanda, consequentemente, suprida.

Entre os diversos tipos de escala utilizadas por hospitais e instituições de saúde, destacam-se as escalas de sobreaviso. Criado na década de 1960 pelo decreto-lei nº 5 para atender as necessidades do setor ferroviário, o regime foi também adotado por hospitais, clínicas e demais instituições de saúde.

Mas como funciona a escala de um profissional que trabalha sob este regime? Acompanhe o artigo até o final e descubra.

Mas afinal, o que é o regime de sobreaviso?

Como falamos no início do texto, o regime de sobreaviso surgiu no ano de 1960 para atender as grandes empresas de ferro, que ficavam inteiramente à disposição das ferrovias para atender emergências ou cobrir faltas

escalas de sobreaviso

Na época, não eram populares os celulares e sequer existiam indícios de acesso à internet, o que obrigava o empregado a ficar em casa.

Com isso, ele poderia ser facilmente localizado – aguardando os possíveis chamados da empresa. 

Como funcionam as escalas de sobreaviso na prática?

É importante atentar-se às regras impostas pelo regime CLT, para o colaborador que se submete ao sobreaviso. A duração desta escala deve ser de, no máximo, até vinte e quatro horas e o desrespeito desse limite de horas descaracteriza a natureza jurídica do regime de sobreaviso. Sendo passível de aplicação de infração administrativa ao empregador.

Já os princípios legais e relacionados à duração da jornada, como horas extras, jornada noturna e intervalos entre e intrajornada, devem ser considerados em relação às horas efetivamente trabalhadas.

Portanto, quando o trabalhador em regime de sobreaviso é convocado para trabalhar, o regime de sobreaviso é interrompido assim que se inicia o trabalho, e o período de trabalho efetivo é pago de acordo com o seu salário.

Em casos de trabalho prestado em horário extraordinário – quando o empregado já cumpriu a jornada normal de trabalho – as horas serão pagas com acréscimo de, no mínimo, 50% sobre a hora normal.

Vale destacar ainda que, quando um empregado é convocado para executar um trabalho em horário noturno, deve-se pagar o valor adicional de 20% sobre a hora normal. Mas, durante as horas de sobreaviso, não se aplica o adicional de periculosidade, já que o empregado não se encontra em condições de risco.

Como planejar as escalas de sobreaviso

Ao considerar a criação das escalas de sobreaviso é importante garantir que os profissionais estejam disponíveis de modo imediato, bem como que possuam os recursos necessários para o deslocamento e trabalho a ser desempenhado. 

No contexto hospitalar, certifique-se de inserir nas escalas diárias as informações sobre os profissionais em sobreaviso e em quais casos há maiores chances de serem chamados.

Desta forma, os profissionais estarão preparados para os eventuais chamados e os responsáveis pelo acionamento, terão pronto acesso aos nomes designados. 

Em hospitais, é comum que médicos especialistas trabalhem sob o regime do sobreaviso e se coloquem disponíveis para atender os casos específicos sobre os quais apenas estes poderiam opinar. Inclusive, geralmente devem ser notificados com o tempo suficiente para o deslocamento.

Aliás, vale ressaltar ainda, a importância de acompanhar constantemente a satisfação do profissional e entender se ele está mesmo apto para o trabalho: se não fez uso de bebidas nas últimas horas ou se trabalhou mais horas do que o permitido e considerado seguro para todos.

Dicas para criar escalas de sobreaviso

  1. Ao criar a escala diária de profissionais médicos, inclua também duas opções de médicos em sobreaviso para cada caso. Desta forma, você garantirá o atendimento à demanda, mesmo que as duas primeiras opções não possam comparecer;
  2. Compartilhe a sua escala com todos os profissionais envolvidos, previamente, bem como o responsável por acionar os médicos em sobreaviso. Assim, ninguém estará perdido e você poderá solucionar o imprevisto rapidamente;
  3. Invista em tecnologia para manter uma comunicação rápida e eficiente com todos os times médicos. Por meio do uso do Escala Plantões, por exemplo, todos os seus profissionais são notificados tão logo você faz o anúncio da substituição ou escalas;
  4. Crie e determine protocolos de segurança. É responsabilidade do seu hospital garantir que o profissional da saúde em sobreaviso esteja sóbrio e apto para o desempenho do seu papel. Por isso, é importante que você monitore estes aspectos, antes de permitir a entrada deste numa sala de cirurgia, por exemplo.

Crie uma escala de sobreaviso com o Escala Plantões

Para auxiliar o seu hospital a criar escalas efetivas, desenvolvemos para o Escala Plantões, a função de sobreaviso que funciona prioritariamente para substituir profissionais faltantes. 

Neste caso, é possível alocar profissionais fixos em sobreaviso, numa espécie de banco reserva e notificá-lo rapidamente em caso de faltas. É possível fazer também o acionamento através do anúncio, onde, ao realizar o anúncio da necessidade do profissional, todos os médicos em sobreaviso recebem e aquele que vir primeiro aceita o pedido. 

Para ambas as opções, os profissionais envolvidos são notificados e devidamente informados sobre a mudança, evitando assim, falhas na sua escala de sobreaviso.

Além disso, nos relatórios financeiro você conseguirá distinguir facilmente quantas horas foram executadas em sobreaviso e quantas em acionamento.

O melhor da tecnologia para o setor hospitalar

Estruturas e métodos antigos ou ultrapassados podem acarretar uma série de problemas para hospitais, funcionários e pacientes. Investir em tecnologia para modernizar o setor traz mais segurança não só para o próprio hospital, como, também para todos os envolvidos.

Ficou curioso e gostaria de testar a tecnologia do Escala no hospital em que você trabalha? Os 7 primeiros dias de uso da plataforma são gratuitos e você conseguirá se cadastrar por meio do link https://escala.app/cadastro/escala-plantao

Postado por Raphael Tavares

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0
back to work

Back to Work: como planejar a retomada pós COVID-19

contratação médica

Contratação médica: tipos possíveis e a documentação